Young Winemakers propõem ousadia e modernidade aos vinhos de Portugal

Eles são de distintas regiões de Portugal e têm um estilo em comum: produzem vinhos ousados, divertidos e de caráter moderno, porém com um padrão de qualidade diferenciado. O grupo é composto por seis jovens enólogos que resolveram juntar forças e lançar um projeto que vai de encontro aos padrões tradicionais da enologia portuguesa. Eles são os Young Winemakers of Portugal.  

A ideia surgiu quando eles decidiram participar de uma feira de vinhos e terminaram inscrevendo-se em conjunto, uma vez que a inscrição individual ficaria muito dispendiosa. Com o sucesso da iniciativa, resolveram oficializar o grupo.  

A irreverência da proposta se reflete nas marcas de cada um e até na estampa dos rótulos. Saiba um pouco mais sobre cada um deles:  

VADIO – Luis Patrão é enólogo da Herdade do Esporão, mas tem o Vadio como seu projeto pessoal. Desenvolvido na região da Bairrada, produz um espumante, um branco e dois tintos, aproveitando bem o potencial da casta Baga. Foi recentemente eleito o produtor revelação de Portugal pela Revista Wine – a Essência do Vinho.

CAMALEÃO – Apesar de jovem, João Maria Cabral já atuou como enólogo em vinícolas do Dão, Ribatejo e Douro. Teve experiências internacionais na Alemanha e na Argentina e foi vice- presidente da Associação Portuguesa de Jovens enófilos. Hoje atua como consultor e tem o seu próprio vinho, o Camaleão. Trata-se de um branco produzido na região de Lisboa com a uva francesa Sauvignon Blanc. Tal qual o animal que inspira seu nome, o rótulo do vinho muda de cor de acordo com a temperatura.

CONCEITO – Rita Marques desistiu da engenharia para abraçar uma paixão, a enologia. Participou de vindimas em Portugal e também no renomado Château Montelena, na Califórnia. Cursou um ano da sua formação em Bordeaux com Denis Dubourdieu, uma das maiores referências francesas da enologia, e ainda estagiou na Nova Zelândia e na África do Sul.Em 2005, lançou o projeto Conceito, no Douro, onde produz brancos e tintos, um deles exclusivamente com a uva Bastardo, que anda meio discriminada naquela região.  

HOBBY – Diogo Campilho e Pedro Pinhão são enólogos da Quinta da Lagoalva, no Tejo, mas que tem o Hobby como o seu projeto pessoal ( e também como um hobby). Eles produzem nas regiões do Alentejo e Tejo e contam com brancos e tintos em seu portfólio.

CLIP – Pedro Barbosa aproveitou as terras da família na região do Minho para elaborar o seu Vinho Verde Clip, feito com a casta Loureiro. Além do seu projeto, ele atua como técnico de viticultura na Quinta do Vale do Meão, no Douro.      

Nos próximos posts, confira a avaliação do blog sobre os rótulos provados.  

ONDE ENCONTRAR: Os vinhos dos Young Winemakers estão sendo trazidos para o Brasil pela Licínio Dias (LD) Importação e Épice. No Recife, à venda na Casa dos Frios. Em Olinda, na Tia Dulce.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *